O “mago” da Cultura

0
245

Quem é Sonys Albert?

“O potencial do artista destaca-se pelo sugestivo nome, dentro da pluralidade das artes desenvolvidas por ele; é necessário reconhecer que o Dom é algo especial.”

Sonys Albert, nasceu na cidade de Japaratuba no estado de Sergipe, em 04 de março de 1971. Cidadão japaratubense que jamais se desligou da cidade natal, comungando desde sempre das riquezas culturais do cidade e região.

Há 45 (quarenta e cinco anos) morando em Japaratuba, vem desenvolvendo valorosos trabalhos voltados à arte e se destacando na região pelos trabalhos desenvolvidos à frente da cultura local, adquirindo assim respaldo no meio artístico. Pessoas influentes no “meio” têm solicitado os serviços de assessoria técnica do artista que é múltiplo em tudo que faz, “certamente ele respira arte 24 horas por dia.”

Desde muito cedo Sonys Albert, demonstrava aptidão pelos dons artísticos, começou aos 5 (cinco) anos de idade como desenhista, destacava-se na escola auxiliando os colegas e professores, desenhava as capas dos trabalhos e provas bimestrais para serem “mimeografadas” pela direção da escola onde estudava.

Formação e Profissionalismo

Os dons intelectuais do artista desencadearam na formação acadêmica, Sonys formou-se em Letras Português, pela Universidade Tiradentes (UNIT) em Aracaju.

O profissionalismo do artista chama atenção pela facilidade em desempenhar várias técnicas,  tudo feito com muita determinação beirando a perfeição, chega a ser “exaustivo” elencar a lista artística do “mago” da cultura sergipana.

Começando pelos traços precisos do desenhista; designer, estilista, artesão, decorador cultural, de eventos particulares (festas de aniversários, casamentos, debutantes), produtor cultural, poeta, compositor e ator de teatro. Participou ativamente de concursos de “poesia falada” acumulando assim vários títulos. Sonys Albert foi por várias vezes campeão, em festivais de artes nas cidades sergipanas de: Capela, Estância, Japaratuba, Lagarto e Propriá. Também na cidade alagoana de Penedo. No festival de música na cidade de Japaratuba em um determinado ano foi finalista com a música “mensageiro beija-flor” sendo esta autoral.

A Secretaria de Cultura da cidade de Japaratuba sempre solicita os serviços de decoração do “mago” Sonys Albert, mas há 25 (vinte e cinco) anos atrás, ele trabalhou prestando assessoria  técnica à Secretaria de Cultura do município, foi daí que o trabalho se consolidou, sendo mais requisitado por outros municípios.

Desde à capital sergipana ao interior, os trabalhos artísticos-culturais do “mago” são solicitados, o maior destaque é em trabalhos desenvolvidos no âmbito da decoração cultural,  a magia contagiante das formas e cores que as cidades recebem através da “perfeição” do artista, prova o verdadeiro profissional que ele é!

É procedimento de “praxe” listar às cidades contempladas com os dons artísticos do japaratubense Sonys Albert. Começando pela capital; Aracaju que além de ser um grande centro urbano, de certa forma projeta os artistas para o reconhecimento e valorização. E outras cidades como: Carmópolis, Itabí, Laranjeiras, Muribeca, Pirambu, Nossa Senhora de Lourdes, São Francisco, e recentemente, Propriá.

XXX Encontro Cultural de Propriá

 

Em Propriá Sonys Albert foi solicitado para fazer toda decoração do 30º (trigésimo) Encontro Cultural. Mas por motivos “desconhecidos” não decorou toda à cidade, mas o corredor cultural “Rodriguinho” ficou impecável!

A cidade ribeirinha recebeu uma verdadeira ornamentação, jamais vista anteriormente. De forma inédita o “mago” desenvolveu uma decoração que, valorizou a cidade e mostrou as riquezas culturais da região, contando também um pouco da história ribeirinha.

O reconhecimento pelo belo trabalho desenvolvido em Propriá se faz necessário, pois foi “crucial” para abrilhantar ainda mais o evento realizado. As cores e formas mostradas ao longo da festa representaram o artista. Que fica satisfeito após o trabalho realizado, que não busca status mas que, espera ver o brilho no olhar de quem contempla suas obras.

“Para o artista essa é a maior recompensa que existe; é aí que a arte toca a alma de quem ama e valoriza a cultura.” Confidenciou o “mago” Sonys Albert.

Por Renison Felix;

Ativista cultural

 

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA