Hospital Regional de Propriá mantém atendimento ágil e humanizado

0
104

No relato de um cidadão que na terça-feiria, 05/12, foi acometido de um acidente onde teve a boca rasgada e lábios cortados por uma queda de bicicleta, a informação de que foi prontamente atendido de forma ágil e já na sala de operação, o atendimento humanizado pela equipe que o atendeu, fez toda diferença. Seu nome, Macilon Marques, 48 anos.

O que era motivo de criticas até pouco tempo por parte de populares – oito meses antes -, vem recebendo elogios e reconhecimento por parte dos atendidos . Em depoimentos usuários afirmam que são bem atendidos no Hospital Regional de Propriá.

Funcionando 24 horas diárias, de domingo a domingo, o Hospital não pára. Acolhe pessoas de toda região do Baixo São Francisco e do Estado de Alagoas. Imagina-se que, aproximadamente cerca de 9 mil almas, passem por seus corredores todos os meses. Desde a recepção, primeiro atendimento que o cidadão recebe no fazer ficha, até os últimos cuidados pelos enfermeiros, após passar pela equipe de médicos, o cidadão é acolhido de forma humana. São poucas as criticas em relação aos atendimentos.

Na recepção já se percebe o trabalho de higiene. Os corredores do Hospital as cadeiras são limpas, o chão refletem imagens, paredes sem manchas e cheiro ruim não existe. De dia risos em tons diversos são ouvidos aqui e ali mostrando que a energia emanada naquele ambiente por seus funcionários está equilibrada. A noite o silêncio impera quando os plantões atentos continuam trabalhando para manter os atendimentos com qualidade. De crianças aos idosos, pobres ou abastados, brancos ou outros são atendidos iguais em humanidade.

Dona Maria da Guia é de um interior das matas de Brejo Grande. Ela compara o Hospital da sua época e o de hoje. Afirma: “Era muito diferente. Aqui sofria gente demais. Muitas vezes iam pra Aracaju quando aqui não dava jeito. Outros morriam e assim ia. Agora é diferente. De tudo aqui trata. Minhas filhas, netas e o povo da minha terra se tratam aqui. O povo que trabalha aqui hoje é mais atencioso. Fala com agente com educação e parece que agora tá mió”, afirmou com sua mente lúcida de quase 80 anos de idade.

 Os mais idosos dizem que: “Quer conhecer uma pessoa, vá na casa dela”. Esse ditado é um axioma. A Diretora do Hospital, Patrícia Britto, vem fazendo um bom trabalho. É o que o site constatou colhendo informações no local quando acompanhou um cidadão. Formada em Assistência Social o que a Diretora vem demonstrando é capacidade, compromisso e responsabilidade para com o cargo que lhe foi conferido pelo governo do Estado na pessoa do Secretário Almeida Lima. Patrícia sempre dá um jeito no que for preciso para atender.

Meses antes da sua chegada o Hospital passava por certo descrédito perante parte da opinião pública e foi alvo da Câmara Municipal de Propriá. A situação chegou na imprensa e a antiga direção foi destituída. A Câmara Municipal já afirmou em diversas sessões ordinárias que a situação na atualidade é bem diferente e positiva. Se antes criticou, hoje reconhece os méritos da gestão atual.

Em quase seis horas que o site ficou no Hospital Regional de Propriá, o que se constatou é que ninguém fica mais que o tempo de 10 a 20 minutos sem ser atendido e levado às salas do hospital. Que da parte de profissionais há humanização quanto ao tratamento e relação paciente e profissional de saúde.

Por Adeval Marques

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA